Abel Ferreira definiu a vitória por 3 a 0 sobre o River Plate (ARG), na Argentina, com uma palavra: mentalidade. – BLOG NO UOL

Abel Ferreira definiu a vitória por 3 a 0 sobre o River Plate (ARG), na Argentina, com uma palavra: mentalidade. Para o treinador, a parte mental também teve influência na fraca atuação ontem (12) no Allianz Parque, em que apesar da derrota por 2 a 0 o Verdão garantiu a classificação à final da Copa Libertadores.

“Já tinha dito que era possível eles fazerem os três gols, com um treinador que está há cinco anos na equipe, ganhou duas vezes [a Libertadores], com jogadores experientes e que veio sem nada a perder. E como gosto da psicologia, é um dos componentes que eu adoro, a intensidade do sentimento da perda é o dobro do lucro. E o jogo hoje era um jogo muito mental. Se sai o gol na primeira bola do Rony, matávamos o adversário animicamente. Depois, era natural que o adversário reagisse”, afirmou.

Nós fizemos três gols [na Argentina], mas poderíamos ter feito o quarto e o quinto embaixo da baliza, com o [Raphael] Veiga e o Willian, e matávamos a eliminatória. E eu estudei a equipe, sabia que eles poderiam fazer três gols. Os primeiros gols [no Allianz] foram de escanteio e lançamento. No intervalo, com 2 a 0, o adversário está animicamente muito forte e nós com o sentimento de perda da vantagem. Temos de sofrer e conseguimos a qualificação muito pelo jogo que fizemos na Argentina. No primeiro jogo, fomos muito superiores, e no segundo, o River foi superior. Lá fomos muito superiores, poderíamos ter chegado com quatro ou cinco gols de vantagem. Hoje, o fator psicológico fez a diferença”, analisou.

Durante toda a entrevista, o técnico português ressaltou a importância de ter vencido a ida — segundo ele, se o River foi superior agora, na ida o Verdão foi muito melhor. Com a vantagem obtida fora, Abel considera que o Palmeiras entrou para o jogo em casa sabendo que toda a responsabilidade era sua para garantir a classificação.

“Quando vai jogar na casa do River e estamos os dois no mesmo nível, lutando pelo melhor resultado, não há condicionantes para o fator mental. Temos de estar focados nas nossas tarefas. Aqui já se traz a vantagem. Se faz o primeiro gol, por experiência e estudo, o jogo seria totalmente diferente. O fator mental inibe do que se precisa fazer. Foi evidente o sentimento após os gols: ‘não podemos perder’. Foi uma das melhores derrotas que eu e o Palmeiras tivemos na nossa história. E foi uma boa altura para perdermos”, concluiu.

MEU COMENTÁRIO:

ABEL FERREIRA SÓ ESQUECEU DE MENCIONAR UM PONTO FUNDAMENTAL: ONTEM Á NOITE DEUS FOI PALMEIRENSE. O RESTO É O RESTO…

Abel Ferreira definiu a vitória por 3 a 0 sobre o River Plate (ARG), na Argentina, com uma palavra: mentalidade. – BLOG NO UOL
Rolar para o topo