Ao brandir genocídio contra Bolsonaro, Renan produz rugido com som de miau – JOSIAS DE SOUZA, UOL

Toda CPI tem uma propensão para a teatralidade. Num ambiente parlamentar, até investigação vira espetáculo. Mas chega um instante em que é preciso descer do palco. Com o encerramento marcado para daqui a duas semanas, em 20 de outubro, a CPI da Covid vive a difícil transição da fase dos depoimentos e da coleta de dados para a etapa da elaboração do relatório final. A julgar pela linguagem zoológica, o relator Renan Calheiros tem dificuldades para virar a chave.

Perguntou-se a Renan se Bolsonaro será indiciado pela CPI. Ele sinalizou que o rol dos encrencados terá mais de três dezenas de nomes. E não deixou dúvidas quanto à inclusão do presidente. “Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório”, disse Renan. “Bolsonaro com certeza será indiciado, sim.” Entre os delitos que planeja imputar ao presidente, o senador mencionou crime de responsabilidade e crime contra a vida.

Renan também citou imputações sujeitas à jurisdição do Tribunal Internacional de Haia. Disse que estuda a hipótese de acusar Bolsonaro da prática de genocídio. No afã de rugir como um tigrão, o relator da CPI se arrisca a produzir um vexame. Genocida pode ser um ótimo slogan para gritar em manifestações de oposicionistas. Mas atribuir a Bolsonaro essa modalidade de extermínio teria a mesma eficácia de uma receita de cloroquina para um paciente de covid.

No genocídio, o alvo do extermínio é um grupo específico: os muçulmanos na Bósnia, os tutsis em Ruanda, os judeus na Alemanha… No Brasil da pandemia, a opção pela cloroquina, a demora na compra de vacinas e a aposta na imunização pelo contágio coletivo mataram bolsonaristas e antibolsonaristas.

Renan cogita usar os índios para fabricar uma tese jurídica contra Bolsonaro. Seria um rugido com som de miau. A CPI dispõe de vasto material e boa assessoria jurídica. O uso teatral do genocídio não teria outra serventia senão oferecer munição para o investigado e desculpas para os engavetadores Augusto Aras e Arthur Lira.

Ao brandir genocídio contra Bolsonaro, Renan produz rugido com som de miau – JOSIAS DE SOUZA, UOL
Rolar para o topo