Aumento de casos de coronavírus poderá suspender manifestações de rua – RICARDO NOBLAT – VEJA.COM

Eventos públicos estão sendo adiados em todo o mundo

FORA DO ARMÁRIO – Manifestação: sem pudor de defender um retrocesso  Cadu Rolim/Fotoarena

Caso cresça nos próximos dias o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil, o Ministério da Saúde poderá ser obrigado a recomendar a suspensão das manifestações de rua à direita e à esquerda que estão sendo convocadas.

Pelo calendário conhecido até aqui, a esquerda sairá às ruas para celebrar o Dia Internacional da Mulher (8/3), lembrar a passagem de mais um ano da morte da vereadora Marielle Franco (14/3) e defender a democracia (18/3).

A direita bolsonarista pretende dar uma grande demonstração de força no dia 15. Em foco, a defesa do governo Bolsonaro que se diz acuado pelo Congresso e a Justiça. Essa é a manifestação com maior potencial de conflitos.

A progressão do coronavírus desaconselha a formação de multidões. O Museu do Louvre, em Paris, fechou suas portas temporariamente. Eventos capazes de atrair um grande público foram adiados em diversos países.

De resto, afrontar o Congresso quando mais precisa dele para aprovar reformas, e a Justiça da qual depende o futuro da família Bolsonaro, seria tudo, menos uma jogada inteligente de uma direita em acelerado processo de fragmentação

Aumento de casos de coronavírus poderá suspender manifestações de rua – RICARDO NOBLAT – VEJA.COM
Rolar para o topo