Bolsonaro age com a fúria dos milicianos – ALVARO COSTA E SILVA, FOLHA

Bolsonaro age com a fúria dos milicianos
Com líderes do Congresso cooptados ao esquema da morte, não há saída para a calamidade

Com a fúria de um miliciano macabro, Bolsonaro ameaça: quem fizer “lockdown” terá de bancar o auxílio de emergência aos trabalhadores. É a lógica do fora-da-lei que cobra proteção e, contrariado em seus interesses, manda cortar o fornecimento de botijões de gás. Na cabeça do capitão, o país é um território tomado à força na zona oeste carioca; o destino dos brasileiros vale menos que a ligação pirata na internet.

Sua falácia é salvar empregos. Quando até mesmo o ministro Paulo “Pibinho” Guedes sabe que a retomada econômica está ligada ao combate à pandemia, Bolsonaro continua dedicando-se ao contrário: incrementar a doença. Não à toa seus fanáticos adoradores curtem o apelido Capitão Corona.

Para ele, luto é frescura. Mimimi. Além de não usar máscara, demite quem usa. Mente, xinga a mãe, aglomera, ataca a imprensa, aprofunda a crise federativa, nega a gravidade da peste, sabota o plano nacional de vacinação e, depois de receitar, comprar e fabricar medicamentos sem eficácia no tratamento à Covid-19, despacha o chanceler Ernesto “Pária” Araújo para buscar um spray milagroso em Israel.

Enquanto isso, o Brasil está se desfazendo em calamidades: com os hospitais públicos e privados esgotando a capacidade, cada vez mais pacientes jovens em estado grave ocupam as UTIs; a transmissão descontrolada —já se fala numa quarta onda— tende a criar vírus mais perigosos; recordes no número de vidas perdidas são batidos dia após dia. Nas ruas, desespero e fome. Nas redes sociais, idiotia robótica.

Para complicar, não há saída imediata. Os líderes do Congresso estão cooptados ao projeto da morte. Na Câmara, de Arthur Lira só se podem esperar novas PECs da impunidade. No Senado, Rodrigo Pacheco tem gastado seu português castiço para dizer que a CPI da Covid não é para investigar o presidente. Investigar quem então, cara-pálida?

Alvaro Costa e Silva
Jornalista, atuou como repórter e editor. É autor de “Dicionário Amoroso do Rio

Bolsonaro age com a fúria dos milicianos – ALVARO COSTA E SILVA, FOLHA
Rolar para o topo