Bolsonaro usa o terrorismo como estratégia de poder – BRUNO BOGHOSSIAN – FOLHA

Presidente oferece o pânico e não apresenta nenhuma saída para a economia

26.mar.2020 à 1h00

No fim dos anos 1980, Jair Bolsonaro se lançou candidato a vereador após ser absolvido da acusação de planejar atentados a bomba em quartéis, num julgamento controverso. Mais de três décadas depois, ele decidiu usar outro tipo de terrorismo como estratégia política.

Ao ignorar recomendações de especialistas por medidas de distanciamento contra o coronavírus, o presidente afirmou que o caos reinará se a economia não voltar logo ao normal. Nesta quarta (25), ele disse que o governo não terá como pagar funcionários públicos, supermercados serão saqueados e o país corre risco de uma ruptura democrática.

“Se nós não acordarmos para a realidade, daqui a poucos dias poderá ser tarde demais”, declarou.

Por semanas, o presidente ancorou uma campanha de negação dos riscos do coronavírus, criticando o que chamava de pânico e histeria. Agora, ele agiu rápido para instrumentalizar o desespero a seu favor.

Bolsonaro só consegue enxergar a ruína de um dos lados dessa crise. Ele continua minimizando as chances de contaminação em massa e do colapso de sistemas de saúde. Reconhece apenas a ameaça de desmoronamento econômico, em nome de ganhos políticos individuais.

A falsa cegueira cumpre duas funções. O presidente já conseguiu empurrar para os governadores parte do ônus da inevitável desaceleração provocada pela restrição à circulação de pessoas. O discurso, além disso, deixa a porta aberta para uma postura ainda mais radical e para a adoção de medidas de exceção.

A desordem sempre foi o campo político de Bolsonaro. A ameaça de agitação e devastação é sua ferramenta favorita para intimidar adversários e desmerecer seus críticos.

A agonia econômica é um perigo real, mas o presidente não oferece nenhuma saída concreta. Não explica como o governo vai preservar a saúde de quem voltar ao trabalho e propõe uma retomada sem qualquer planejamento, depois desmentida pelo próprio vice-presidente. Bolsonaro só quer deixar o medo no ar.

T


Bolsonaro usa o terrorismo como estratégia de poder – BRUNO BOGHOSSIAN – FOLHA
Rolar para o topo