Bolsonaro vende um Brasil imaginário na Cúpula do Clima – BERNARDO MELLO FRANCO, GLOBO

AQUECIMENTO GLOBAL

Por Bernardo Mello Franco22/04/2021 • 11:20O ministro Ricardo Salles e o presidente Jair Bolsonaro na Cúpula de Líderes sobre o ClimaO ministro Ricardo Salles e o presidente Jair Bolsonaro na Cúpula de Líderes sobre o Clima | Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro tentou vender um Brasil imaginário na Cúpula de Líderes sobre o Clima.

Nas palavras dele, o país “está na vanguarda do enfrentamento ao aquecimento global”.

O discurso foi na contramão das ações do seu governo, que enfraqueceu os órgãos ambientais e permitiu o avanço do desmatamento da Amazônia.

Em tom defensivo, Bolsonaro sustentou que o Brasil tem uma das matrizes enegéticas mais limpas do mundo e promoveu uma “revolução verde” no campo.

Se tudo vai bem, o mundo estaria perdendo tempo ao se preocupar com o país.

É verdade que houve uma mudança de tom. O mesmo Bolsonaro que ameçava abandonar o Acordo de Paris agora veste um figurino conciliador e se diz “aberto à cooperação internacional”.

Mas pareceu uma mudança interessada. Numa reunião em que outros líderes prometeram sacrifícios para reduzir as emissões de carbono, o presidente do Brasil pediu dinheiro. 

“Diante da magnitude dos obstáculos, inclusive financeiros, é fundamental contar com a contribuição de países, empresas, entidades e pessoas dispostas a atuar de maneira imediata”, afirmou.

Só faltou apresentar a conta de US$ 1 bilhão para preservar a Amazônia, como fez ontem o ministro Ricardo Salles.

Bolsonaro vende um Brasil imaginário na Cúpula do Clima – BERNARDO MELLO FRANCO, GLOBO
Rolar para o topo