Com 117% dos leitos ocupados na cidade, prefeita de Bauru e parentes organizam cultos presenciais em igreja da família – FOLHA, PAINEL

Com 117% dos leitos ocupados na cidade, prefeita de Bauru e parentes organizam cultos presenciais em igreja da família
Suéllen Rosim e seus familiares abriram as portas da Mipe, igreja evangélica que comandam na região

Nos dias em que a taxa de ocupação de leitos de UTI na cidade de Bauru (SP) estourou em muito o limite (117% nesta quarta-feira), a prefeita Suéllen Rosim (Patriota) e sua família decidiram abrir as portas da igreja que comandam para culto presencial.

A Mipe (Ministério Produtores de Esperança) é uma igreja evangélica neopentecostal que tem a mãe da prefeita, a bispa Lúcia Rosim, como líder na região.

No domingo (4), um dia após o ministro do STF Kássio Nunes Marques liberar cultos e missas presenciais, a família Rosim abriu a igreja para celebração ministrada pela bispa. A prefeita, crítica das medidas de isolamento social recomendadas pela ciência, marcou presença.

Nesta terça (6), a bispa Lúcia disse que na sexta-feira (9) abrirá para culto presencial outra filial da Mipe que sua família comanda, em Birigui (SP), a 175 km de Bauru. Procurada, a prefeita não se manifestou.

Lideranças evangélicas têm dito que não há uma orientação geral para seguir e cada corrente poderá decidir por conta própria se deve ou não realizar cultos presencialmente.

Em fevereiro, ela participou de protesto pela abertura do comércio na cidade que contou com a presença de Luciano Hang, da Havan. O principal alvo da manifestação foi o governador de São Paulo.

O Painel revelou que comerciantes da cidade criaram um manual com instruções sobre como enfrentar os fiscais da vigilância sanitária anti-Covid.

Com 117% dos leitos ocupados na cidade, prefeita de Bauru e parentes organizam cultos presenciais em igreja da família – FOLHA, PAINEL
Rolar para o topo