DEZ RAZÕES PARA DEMISSÃO DE ALVIM – RUTH DE AQUINO, O GLOBO, RJ

Alvim foi exonerado por Bolsonaro por "pronunciamento infeliz", apesar da "coincidência retórica" entre Goebbels e o pensamento do governo sobre arte e cultura

Alvim foi exonerado por Bolsonaro por “pronunciamento infeliz”, apesar da “coincidência retórica” entre Goebbels e o pensamento do governo sobre arte e cultura | Reprodução

Por que o presidente Jair Bolsonaro demitiu Roberto Alvim? Será que discordava dos termos do discurso pomposo sobre os prêmios na Cultura? Não. Em nenhum momento discordou. O problema foi “apenas” a inspiração nazista? Não. Foi a repercussão. Interna e externa. Aqui vão 10 razões para a rápida exoneração, apesar das desculpas de Alvim. Seu “bombardeio cultural conservador” foi abortado em voo livre – mas só na aparência.

Bolsonaro o exonerou…  

1)  Para não virar motivo de chacota e indignação internacional, logo agora que o amigo Trump pediu o ingresso do Brasil na OCDE, no lugar da Argentina. Nos principais sites de notícias do mundo, Goebbels ressuscitou graças ao governo Bolsonaro.

2)  Para fazer média com os judeus. Se fosse uma fala contra nossas atrizes, nossos negros ou nossos gays, Alvim seria agraciado com elogios e cafunés. 

3)  Para o Congresso não ficar de mal com ele, nas pessoas de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, e bloquear todos os seus ímpetos de legislar – e para não deixar o presidente do STF Dias Toffoli incomodado. Não convém, não convém.

4)  Para não transformar Richard Wagner no hino oficial da Cultura, porque Bolsonaro detesta ópera e não entendeu a frase em alemão que estava na mesa de Alvim.

5)   Para poder “bombardear” a arte e a cultura no Brasil com mais esperteza, sem ser tachado de nazista. O trecho fatal do discurso, segundo o próprio Alvim, foi “uma coincidência retórica” – entre o pensamento de Goebbels e o do presidente brasileiro, sobre “a arte pura, heroica, conservadora e imperativa”…Uma coincidência “infeliz”. Só isso.

6)   Para agradar a Olavo de Carvalho, que já estava achando Alvim ruim da cabeça. E se Olavo acha alguém louco…

7)   Para não ouvir da imprensa que seu governo é formado em parte por lunáticos fanáticos, uma imprensa que “não tem vergonha na cara” e cisma em ser profissional e independente. Pela primeira vez, não rebateu as críticas.

8)  Para o Brasil parar de insistir na demissão do “imprecionante” Abraham Weintraub. Por um tempo. Weintraub ganhou sobrevida na Educação com a saída de Alvim. 

9)  Para ganhar tempo e adiar a demissão de Salles, outro trapalhão. Ele não ficará à frente do Meio Ambiente até o fim do mandato presidencial.

10) Para ganhar tempo e adiar a demissão de Damares. Ela não ficará à frente do Ministério da Mulher e Direitos Humanos até o fim do mandato presidencial.

Roberto Alvim, quem? foi o título de minha primeira coluna sobre esse obscuro e estranho secretário de nossa Cultura, que jamais representou os artistas. 


DEZ RAZÕES PARA DEMISSÃO DE ALVIM – RUTH DE AQUINO, O GLOBO, RJ
Rolar para o topo