Disputa por voto volátil passa por mulheres e eleitores mais pobres -BRUNO BOGHOSSIAN, FOLHA


Números do Datafolha mostram perfil de indecisos e eleitores sem candidato na ponta da língua

A disputa pelo que resta de votos no mercado político passa pelas mulheres, pela população de baixa renda e por eleitores que estão em cima do muro em relação aos rumos do país. Entre os indecisos e aqueles que ainda não cravaram a escolha de um candidato, há pistas sobre os caminhos que as principais campanhas deverão seguir até outubro.

Apesar de uma larga fatia dos brasileiros já ter definido um lado, 29% dos eleitores ainda não têm um presidenciável na ponta da língua. São os entrevistados que, na última pesquisa do Datafolha, não souberam declarar seu voto de forma espontânea –antes de ler uma cartela com os nomes dos candidatos.

O perfil do grupo não é muito favorável aos planos de recuperação de Jair Bolsonaro. As mulheres representam 65% dos entrevistados que não têm uma escolha pronta para o primeiro turno. Nesse segmento, o presidente enfrenta seus piores índices de desconfiança e de avaliação como governante, além da alta rejeição: 57% das eleitoras dizem que não vão com ele de jeito nenhum.

LULA X BOLSONARO
Montagem com fotos de Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) – Marlene Bergamo/Folhapress e Adriano Machado/Reuters
Os votos em jogo também se concentram na população mais pobre, um grupo que se move majoritariamente na direção de Lula. Na faixa de eleitores com renda abaixo de dois salários mínimos, 32% não citam um candidato na pesquisa espontânea. Entre os mais ricos, há menos indecisos nesse momento: 22%.

Bolsonaro tem chance de capturar ao menos alguns votos da cesta. Quase metade desses eleitores voláteis reprova o governo, mas 16% ainda consideram o trabalho do presidente ótimo ou bom, e outros 39% classificam seu desempenho como regular. Para um político com rejeição tão alta, esses números representam uma esperança mínima.

O eleitor desse grupo é menos simpático a Lula do que os demais entrevistados, mas o petista ainda é o favorito dos indecisos depois que eles recebem a lista com os nomes dos candidatos: 34% escolhem o ex-presidente, 18% optam por Bolsonaro, 12% vão com Ciro Gomes e 12% declaram voto em branco ou nulo.

Disputa por voto volátil passa por mulheres e eleitores mais pobres -BRUNO BOGHOSSIAN, FOLHA
Rolar para o topo