Dizer não ao sexo é uma nova revolução das mulheres? – MIRIAN GOLDENBERG, FOLHA

Dizer não ao sexo é uma nova revolução das mulheres?
Muitas mulheres mais velhas confessam que se aposentaram do sexo como uma forma de libertação

Parece até que virou moda. Quase todos os dias alguma mulher famosa confessa publicamente que não faz sexo há anos. Algumas dizem que nunca tiveram prazer no sexo, mas que faziam por obrigação ou para se sentirem desejáveis. Outras afirmam que sempre gostaram de sexo, mas que, com o avanço da idade, descobriram interesses mais prazerosos.

Jane Fonda, aos 82 anos, foi questionada se “ainda estava fazendo sexo”. Ela riu e respondeu: “Não, não, zero. Não tenho tempo. Estou velha e já fiz muito sexo. Eu não preciso disso agora porque estou muito ocupada. Não tenho mais interesse. Tenho uma vida bem completa, com filhos, netos e amigos. Não quero mais saber de romances. Não tenho tempo para isso.”

Ela brincou que havia um desencontro de desejos em seu último relacionamento: enquanto o namorado tomava Viagra, ela preferia um remédio para dormir. Os dois se separaram em 2017.

Jane Fonda usou o mesmo argumento de Rita Lee, de 72 anos, para explicar porque se aposentou do sexo. Disse que já fez muito sexo no passado e que hoje prefere investir seu tempo, foco e energia em outros prazeres e propósitos mais significativos.

Se no século passado as mulheres foram protagonistas de uma revolução em que a liberdade sexual era central, hoje elas mostram que não fazer sexo pode ser um dos caminhos de libertação das pressões sociais que determinam o que é certo, legítimo e saudável. Reconhecem que existem diferentes formas de amar e de ser feliz, e que é preciso lutar corajosamente contra os rótulos, estigmas e preconceitos que aprisionam as mulheres.

Já ouvi de inúmeras mulheres a mesma ideia:

“Aprender a dizer não foi a maior libertação da minha vida. Desperdicei muito tempo tentando agradar os outros e deixando de fazer o que eu realmente preciso para ser feliz. Hoje tenho a coragem de ser eu mesma, e foda-se o que os outros pensam. Nunca fui tão livre e feliz. Pena que descobri tão tarde que dizer não é uma verdadeira revolução”.

Será que uma nova revolução das mulheres é dizer não para o sexo?

Mirian Goldenberg
Antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio, é autora de “A Bela Velhice”.

Dizer não ao sexo é uma nova revolução das mulheres? – MIRIAN GOLDENBERG, FOLHA
Rolar para o topo