General Nogueira insiste em assombrar o país para agradar Bolsonaro – MIRIAM LEITÃO, O GLOBO RJ

General Nogueira insiste em assombrar o país para agradar Bolsonaro
Ministro carimba como ‘urgentíssimo’ pedido de acesso ao código-fonte das urnas, que está aberto há 10 meses

Por Míriam Leitão

O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, decidiu que continuará assombrando o país. Ontem foi mais um dia dessa movimentação “de tropas” do general. Ele carimbou como urgentíssimo o pedido de acesso ao código-fonte que está aberto às instituições fiscalizadoras desde outubro do ano passado, e que já foi visto, por exemplo, pela CGU, o Ministério Público Federal, o Senado e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O PL, partido do presidente, ignorou que o acesso é aberto aos partidos e não apareceu lá.

O Ministério da Defesa quando manda um documento carimbado de urgentíssimo, e pelo tom que sempre usa nos seus comunicados, passa a impressão de que é algo fechado, que está havendo obstáculos impostos pelo TSE.

A explicação do Ministério é que foi carimbado urgentíssimo pelo prazo curto até as eleições. Mas se achasse importante já teria feito a vistoria do código-fonte nesses quase dez meses que o acesso está aberto às entidades. Não é crível que o Ministério da Defesa não soubesse que estava aberto, nem que só tenha se interessado agora.

Opinião: Chamadas a dar ideias, Forças Armadas querem ser fiscais e superiores ao TSE
Desde o começo, nessa tentativa de alimentar a assombração da intervenção militar, a Defesa já fez vários atos hostis à Justiça Eleitoral, como a de mandar perguntas excessivas e depois do prazo de questionamento e questões que sempre alimentam a dúvida sobre a segurança das urnas. Faz isso desde que o ministro da Defesa era Walter Braga Netto, agora candidato a vice na chapa de Bolsonaro, não por acaso. Nogueira tem ido na mesma toada do seu antecessor.

Houve uma das notas em que o general usou um tom totalmente inadequado como se fosse o comandante do TSE, a de 10 de junho, na qual o ministro escreveu “reitero que as sugestões propostas pelas Forças Armadas precisam ser debatidas”, como se desse ordens ao tribunal.

Desde o começo as Forças Armadas mostraram que não entraram nessa conversa com boas intenções. Nessa mesma nota, há várias frases dúbias e que alimentam a desconfiança, como a de que “secreto é o voto e não a apuração”. Ora a apuração não é secreta.

Em determinado momento, diz que “não interessa concluir processo eleitoral sob a desconfiança dos eleitores”. Mesma expressão usada pelo presidente ( “sob desconfiança dos eleitores”) na fala aos embaixadores. A desconfiança tem sido alimentada pelo presidente e por comportamentos como esse do Ministério da Defesa. O que eles querem é intimidar o país, que não se deixará intimidar.

MEU COMENTÁRIO:

ALSO SPRACHT BRUCUTU, DIRIA ZARATUSTRA

O HOMEM TEM CARA DE BRUCUTU, FALA COMO BRUCUTU E AGE COMO BRUCUTU

QUE MEDO!!!!!

DE TANTO SE FALAR EM GOLPE, ELE VAI ENTENDER QUE, MESMO A CONTRAGOSTO, TERÁ QUE DESFECHÁ-LO, SOB PENA DE DESMORALIZAÇÃO…

General Nogueira insiste em assombrar o país para agradar Bolsonaro – MIRIAM LEITÃO, O GLOBO RJ
Rolar para o topo