Governar a cavalo – RUY CASTRO, FOLHA

O problema é que um dia o animal tem de voltar para a estrebaria

Os estertores da ditadura militar produziram uma figura de pé de página na história do Brasil: o general Newton Cruz. Enquanto chefe do SNI sob o presidente Figueiredo, só as trevas o conheciam. Mas, em 1983, quando Figueiredo o promoveu a comandante militar do Planalto, seu estilo saiu à luz do dia.

Newton Cruz foi pioneiro em mandar repórteres calar a boca, partiu para estrangular um deles numa coletiva e, de rebenque e capacete, comandava a cavalo as operações antiprotesto em Brasília, chicoteando os carros e jogando o pobre animal contra as pessoas na calçada.

É um perigo quando autoridades se prestam a tais fanfarronices. O povo tende a identificá-los com sua montaria, vendo neles um único quadrúpede. Newton Cruz nunca se livrou dessa imagem, nem mesmo quando foi acusado de envolvimento em episódios turvos da ditadura, um deles a bomba no Riocentro, em 1981. Passou à posteridade aos relinchos.

Jair Bolsonaro saiu a cavalo pela Esplanada dos Ministérios neste domingo, saudando seus cada vez mais reduzidos apoiadores. Fez isso em mangas de camisa e com as fraldas para fora, como sói —afinal, é apenas um ex-tenente que foi promovido a capitão ao ser mandado embora do Exército. Nunca um suboficial lhe prestou continência. O homem a cavalo imagina-se uma potência, por ver os outros de cima para baixo. Bolsonaro, desmontado, ao rés do chão e acuado pela Justiça, já não está com essa potência toda.

E começa a tornar possível o que até há pouco parecia impensável: unir contra si as forças democráticas do Brasil, de várias cores políticas. Na ditadura foi assim —custou, mas chegou-se a um ponto em que ela já não interessava a ninguém, nem aos militares. A Bolsonaro só restará uma minoria falangista. Até o centrão, que ele pensou ter comprado, lhe dará uma banana.

O problema de governar a cavalo é que um dia ele tem de voltar para a estrebaria

O então presidente Fernando Henrique Cardoso em sua fazenda em Buritis (MG) em julho de 1996.
O presidente Getúlio Vargas (à dir.) durante passeio pela estância de Itu na cidade de São Borja (RS), em setembro de 1952. Ele estava acompanhado pelo governador do estado, Ernesto Dorneles, por seu secretário particular, Roberto Alves, e por estancieiros da região
João Baptista de Oliveira Figueiredo em exercício de adestramento com o cavalo Corsário, na Granja do Torto, em Brasília, em setembro de 1983. Figueiredo foi o último presidente do país no período da ditadura militar
Com chapéu de couro e gibão, o então pré-candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB-SP) em junho de 2006 em visita a Petrolina, no Pernambuco
O ditador norte-coreano, Kim Jong-Un, na região de Mouth Paektu, no país asiático, em outubro de 2019
Vladimir Putin em Tuva, no sul da Sibéria, em agosto de 2009; àquela altura, ele era primeiro-ministro da Rússia, hoje é presidente do país
O então presidente norte-americano Bill Clinton monta no cavalo árabe Phire Power em centro equestre no estado de Montana, em junho de 1996. Político democrata, Clinton governou os Estados Unidos entre 1993 e 2001.
O presidente venezuelano Hugo Chávez em agosto de 2009 durante as gravações de seu programa "Alo Presidente", em Mantecal. Ele governou a Venezuela de 1999 a sua morte, em março de 2013
Em setembro de 2007, o presidente colombiano Álvaro Uribe faz uma pausa em sua agenda para passear a cavalo da região de Rionegro, na Colômbia. Uribe dirigiu seu país de 2002 a 2010
O ex-presidente dos EUA Ronald Reagan (1911-2004) e sua mulher, Nancy, passeiam a cavalo no rancho do casal, em 1996
Presidente do México entre 2000 e 2006, Vicente Fox passeia a cavalo ao lado de  sua mulher, Marta Safagun de Fox, na zona rural de San Francisco del Rincón em julho de 2001
Em setembro de 1999, em campanha para presidência argentina, o peronista Eduardo Duhalde cavalgou em festival de tradições gaúchas na cidade de Luján. Duhalde foi presidente entre 2002 e 2003.
Não caia do cavalo, veja dicas para ter maior segurança

No último dia 31 de maio, o presidente Jair Bolsonaro cavalgou durante manifestação em apoio ao governo e cumprimentou apoiadores na frente do Palácio do Planalto Pedro Ladeira/FolhapressLeia Mais

 VOLTAR

  • Facebook
  • Whatsapp
  • Twitter
  • Messenger
  • Linkedin
  • E-mail
  • Copiar link
Loading

Ruy Castro

Governar a cavalo – RUY CASTRO, FOLHA
Rolar para o topo