Não existe saída honrosa para Regina Duarte – TONY GOES, FOLHA

Depois de ser humilhada, ex-secretária da Cultura diz que Cinemateca ‘é um presente’

Regina Duarte continua nos brindando com performances patéticas. Na manhã desta quarta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo em seu perfil no Twitter, em que aparece ao lado de sua agora ex-secretária da Cultura. Esfuziante, piscando para a câmera, em modo “namoradinha do Brasil”, Regina parece comemorar seu rebaixamento de cargo.

“Acabo de ganhar um presente que é um sonho de qualquer pessoa de comunicação, de audiovisual, de cinema, de teatro. Um convite para fazer [sic] Cinemateca, que é um braço da Cultura que funciona lá em São Paulo (…) É um presente duplo. É a Cinemateca, e é também estar próxima da minha família”.

Regina Duarte, ex-secretária Especial da Cultura do Ministério da Cidadania
Regina Duarte, ex-secretária Especial da Cultura do Ministério da Cidadania – Isac Nóbrega / PR

Que bom que ela acha que a Cinemateca é um presente. A instituição encarregada de preservar a memória do cinema brasileiro está em crise desde, pelo menos, 2013, quando a então ministra da Cultura Marta Suplicy destituiu sua diretoria e lhe retirou a autonomia operacional.

Este ano, a crise da Cinemateca se agravou ainda mais. Em fevereiro, suas instalações no bairro paulistano da Vila Leopoldina foram inundadas durante uma enchente, e parte de seu acervo se perdeu. Já estamos no final de maio, e a Cinemateca ainda não recebeu nenhuma parcela dos R$ 12 milhões de seu orçamento anual. Nenhum tostão.

Nos últimos dias, um abaixo-assinado vem circulando entre a classe artística brasileira, clamando por providências. A resposta do governo foi deslocar Regina Duarte para o órgão, depois dela perder qualquer credibilidade entre seus pares por causa de sua desastrosa entrevista à CNN Brasil no dia 7 de maio.

Na tentativa desesperada de se segurar ao cargo de secretária da Cultura e de se manter sob os holofotes, Regina minimizou a ditadura, menosprezou os mortos, cantou “Pra Frente Brasil” e saiu num rompante, depois de confrontada com questões espinhosas sobre sua atuação à frente da pasta

Ganhou uma sobrevida no governo. No dia seguinte, foi elogiada por generais de plantão e até por Olavo de Carvalho. No entanto, neste mesmo dia, o ex-astrólogo voltou a ofendê-la nas redes sociais. Sinal de que o fogo da fritura voltara a subir.

Nesta terça (19), a Folha noticiou que Regina havia aceitado uma intervenção branca da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) na secretaria da Cultura, e que estaria buscando uma saída honrosa. Isto, depois de ter seu número dois na pasta, o secretário-adjunto Pedro Horta, demitido sumariamente, poucos dias depois dele ter assumido o cargo.

Regina preparava uma série de vídeos para mostrar ao Brasil os planos que tinha para a Cultura. Planos que ela não teve tempo de implantar. Cumpriu, assim, o destino de uma de suas personagens mais famosas, a Viúva Porcina, da novela “Roque Santeiro” (Globo): foi, sem nunca ter sido.

MEU COMENTÁRIO:

SEMPRE ME PARECEU INEXPLICÁVEL AQUELE AR DE DESLUMBRAMENTO, EM TODAS AS VEZES EM QUE REGINA APARECIA EM FOTOS AO LADO DO CAPITÃO.

FICA A DÚVIDA: BURRICE, IGNORÂNCIA OU INOCÊNCIA?

AFINAL, DESLUMBRADA COM QUÊ?

Não existe saída honrosa para Regina Duarte – TONY GOES, FOLHA
Rolar para o topo