O autoritarismo de Bolsonaro ao compartilhar notícias falsas e ignorar seus ministro – ANCELMO GOIS – O GLOBO,RJ

A PALAVRA DO REI

O autoritarismo de Bolsonaro ao compartilhar notícias falsas e ignorar seus ministro

Por Ancelmo Gois04/04/2020 • 07:30

Na mesma semana em que Bolsonaro, por causa da Covid-19, fez um discurso equilibrado na TV e sancionou, com apoio geral da nação, a renda mínima emergencial de R$ 600 para os mais pobres, um exemplo miúdo de como o chefe da nação trata a informação de modo trivializado. E também como se fosse, para usar uma expressão antiga, uma vizinha faladeira.
O presidente, como se sabe, compartilhou o vídeo de um homem que dizia estar na Central de Abastecimento (Ceasa) de Belo Horizonte, e denunciava suposta falta de produtos — o que, segundo ele, teria sido provocado por medidas tomadas pelos governadores para combater o vírus. Bolsonaro, ponto para ele, reconheceu depois que o tal vídeo — que ele dividiu com milhões de brasileiros — era uma fake news e pediu desculpas.
Ainda assim, resta uma questão grave: como pode o presidente de uma nação abordar uma informação tão dramática, como a segurança alimentar de um país, sem pedir antes ao general Augusto Heleno, ministro da Gabinete de Segurança Institucional, para checar sua veracidade? Aliás, bastava um telefonema para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Presidente parece pensar que o Brasil é o seu reino

Presidente parece pensar que o Brasil é o seu reino | Editoria de Arte

O autoritarismo de Bolsonaro ao compartilhar notícias falsas e ignorar seus ministro – ANCELMO GOIS – O GLOBO,RJ
Rolar para o topo