O BRASIL VISTO DE FORA: Pelo mundo, Jair Bolsonaro vai das piadas para a tragédia – FOLHA

‘É o novo Jim Jones?’, pergunta Salon, citando a mesma ‘retórica de culto à morte’ do fanático que levou centenas ao suicídio

O serviço de notícias Deutsche Welle reproduziu vídeo em que o humorístico Extra 3, da TV alemã NDR, “ridiculariza” o presidente brasileiro.

“É espantosa a quantidade de virologistas que temos na Alemanha neste momento, uma loucura”, diz o quadro, sobre os que falam ser “só uma gripe”. Sugere que se formaram na “Universidade Bolsonaro de ensino à distância, em Brasília”, onde as disciplinas são “Facebook e Twitter”.

A mesma DW entrevistou um consultor de empresas, Ian Bremmer, para quem, “no plano internacional, Bolsonaro virou motivo de chacota“.

E a nova Economist (acima) traz charge do presidente com a cabeça enfiada na bandeira do Brasil, com a imagem do coronavírus no lugar do círculo azul. Mas no texto a revista britânica denuncia sua “negligência com a vida dos brasileiros” e “sabotagem ativa da saúde pública”, citando “sinais de insanidade”.

A revista Salon, mais tradicional veículo americano de internet, de 1995, vai além e pergunta, no título: “Jair Bolsonaro é o novo Jim Jones?”. O brasileiro usa a mesma “retórica de culto à morte” do líder fanático que levou mais de 900 seguidores ao suicídio coletivo na Guiana, em 1978.

CAPA SILENCIOSA

Vogue Italia chega às bancas nesta sexta (10) com a capa toda em branco (acima) pela primeira vez. “Em tempos como estes, uma capa silenciosa diz muito mais do que qualquer palavra ou imagem”, explica Ferdinando Verderi, diretor criativo da revista.

IMPRIMIR DINHEIRO

A agência americana Associated Press despachou longa entrevista com Lula, reproduzida por New York Times e Washington Postentre outros, com o enunciado “Lula diz que Bolsonaro é um desastre na pandemia”.

Segundo o ex-presidente, “o Brasil pode precisar imprimir dinheiro” para salvar empresas e evitar caos social: “Quem precisa de liquidez neste momento são os pobres, para comprar sabonete, não o sistema financeiro”.

MURDOCH ‘É FAKE NEWS!’

Na entrevista coletiva de segunda (6), a repórter Kristin Fisher, da Fox News, perguntou a Donald Trump sobre um relatório do próprio governo que apontou falta de testes para o vírus em 300 hospitais. Ele a interrompeu seguidamente, não respondeu e insinuou propósito “político”.

Na quarta, um editorial do Wall Street Journal, também de Rupert Murdoch, dono da Fox News, criticou-o por tornar as entrevistas diárias “um show tedioso de presidente vs. imprensa”.

Na quinta, Trump tuitou que a audiência delas “atravessa o teto” e, claro, “WSJ é fake news!“.

Nelson de Sá

Jornalista, cobre mídia e política na Folha desde a eleição de 1989.

O BRASIL VISTO DE FORA: Pelo mundo, Jair Bolsonaro vai das piadas para a tragédia – FOLHA
Rolar para o topo