OS RESPONSÁVEIS POR CONVENCER BOLSONARO A SE LIVRAR DE ALVIM – LAURO JARDIM, O GLOBO, RJ

Ailton de Freitas

Ailton de Freitas | Agência O Globo

Os dois principais responsáveis para que Jair Bolsonaro demitisse Roberto Alvim foram os ministros Augusto Heleno e Luiz Eduardo Ramos — Bolsonaro, afinal, havia ainda na manhã de sexta-feira resolvido manter o discípulo tropical de Joseph Goebbels depois das primeiras explicações dadas por ele de que o discurso feito na véspera não teria passado de uma “concidência retórica”.

Diante de um Bolsonaro reticente, os dois generais foram firmes em bancar que a única saída possível para o imbróglio era a demissão imediata. Ao longo da conversa, Bolsonaro cedeu.

Em meados do ano passado, foram os mesmos ministros e generais Heleno e Ramos quem convenceram Bolsonaro a não demitir Sérgio Moro, como era a intenção do presidente. Agora a dupla agiu novamente, mas com o sinal invertido — não mais para aconselhar Bolsonaro a segurar um ministro, mas pressionando-o a se livrar do nazista de ocasião.

MEU COMENTÁRIO:

Minha conclusão sobre a intenção de Bolsonaro em manter o nazista no cargo, superada pelos dois ministros supra indicados, é a pior de todas: concordância com o que Alvim proferiu e simpatia solidária pelo nazifascismo.

Diuturnamente Bolsa dá sinais do lado para o qual pende nas encrencas, e seu autoritarismo revela origens remotas geradoras de seu comportamento.

OS RESPONSÁVEIS POR CONVENCER BOLSONARO A SE LIVRAR DE ALVIM – LAURO JARDIM, O GLOBO, RJ
Rolar para o topo