Para militares que gostam de ler – RUY CASTRO, FOLHA

Algumas frases de Napoleão para reflexão dos generais que apoiam Bolsonaro

Ouço dizer que os militares brasileiros gostam de ler. Ótimo. O problema é que só devem ler autores militares. Bem, o mundo já conheceu grandes escritores que foram também importantes como militares —Júlio César, Maquiavel, Euclides da Cunha, T. E. Lawrence (o da Arábia), Saint-Éxupéry, George Orwell. E houve um que pode não ter sido o maior escritor, mas certamente foi o maior militar: Napoleão.

Caiu-me às mãos outro dia um livro, “Napoleão – Máximas e Pensamentos”, selecionados em 1838 por, ora vejam, Honoré de Balzac. É uma edição da Vecchi, de 1946. Contém 525 frases de Napoleão, tiradas de seus discursos e reflexões, entre uma e outra das monumentais batalhas em que jogava com a vida e com a morte de centenas de milhares. Nossos generais, embora só comandem escrivaninhas e manobrem carimbos, devem admirá-lo. Pois aqui vão algumas frases de Napoleão –para as considerações dos que, ignorando o legado de Osório, Barroso, Tamandaré, Caxias e Rondon, apoiam, por ação ou omissão, o governo de Jair Bolsonaro.

“O idiota tem uma grande vantagem sobre o homem inteligente. Está sempre contente consigo mesmo.” “O excesso de poder desgovernado acaba por depravar o homem mais honrado.” “Os grandes poderes morrem de indigestão.” “Há patifes suficientemente patifes para se portarem como homens honestos.” “Mesmo nos seus mais corrompidos momentos, a baixeza precisa ter limites.”

“Nunca é útil inflamar o ódio.” “Não existe o roubo. Tudo se paga.” “O dinheiro é mais forte do que o despotismo.” “Não existem leis possíveis contra o dinheiro.” “A mais falsa política é a que opõe uma facção à outra, jactando-se de dominá-la.” “Um soberano que se filia a uma facção faz inclinar o barco e apressa o naufrágio.”

“A altura do soberano depende da altura do seu povo.” “Se a imensa maioria da sociedade quisesse hoje desobedecer às leis, quem a dominaria?”

Capa do livro “Napoleão - Máximas e Pensamentos”, selecionados em 1838 por Honoré de Balzac, em edição da Vecchi, de 1946
Capa do livro “Napoleão – Máximas e Pensamentos”, com pensamentos selecionados em 1838 por Honoré de Balzac, em edição da Vecchi, de 1946 – Heloisa Seixas

Ruy Castro

Jornalista e escritor, autor das biografias de Carmen Miranda, Garrincha e Nelson Rodrigues.

Para militares que gostam de ler – RUY CASTRO, FOLHA
Rolar para o topo