PERDEU, MORO! – RICARDO NOBLAT – VEJA.COM

Pacote anticrime fica para depois

Sérgio Moro (Adriano Machado/Reuters)

A estreia do ex-juiz Sérgio Moro como ministro da Justiça do governo Bolsonaro se deu de fato e com grande gala quando ele despachou para o Congresso seu pacote de medidas anticrime. Era a joia do seu período inicial como homem público. Moro apostava todas as suas fichas na aprovação rápida do pacote.

Qual o quê! A Câmara dos Deputados já dispunha de outro pacote, esse de autoria de Alexandre de Moraes, ex-secretário de Segurança Pública de São Paulo e atual ministro do Supremo Tribunal Federal. O de Alexandre tinha mais chances de prosperar. O de Moro começou a ser desidratado aos poucos.

Ontem, finalmente, o líder da bancada da bala na Câmara, Capitão Augusto (PSL-SP), o parlamentar mais alinhado com Moro, concluiu que fracassara a sua e a tentativa do ministro de conseguir o apoio de 257 deputados para a aprovação de um requerimento de urgência de votação do pacote. “Vergonhoso”, declarou o capitão.

Ao que tudo indica o pacote só será votado – se for – no próximo ano. Na Câmara, a maioria dos deputados faz todas as vênias a Moro, mas não gosta dele. Acusa-o em voz baixa de ter demonizado a política quando estava à frente da Operação Lava Jato.

PERDEU, MORO! – RICARDO NOBLAT – VEJA.COM
Rolar para o topo