Que saudade Bolsonaro sentirá de Dias Toffoli – RICARDO NOBLAT, VEJA.COM

O que Fux promete

Por Ricardo Noblat – Atualizado em 11 set 2020, 09h31 – Publicado em 11 set 2020, 09h00

Fux Marcos Corrêa (PR)/Reprodução

A entregar pelo menos em parte tudo o que prometeu no seu discurso de posse, ontem, como novo presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Luiz Fux fará o presidente Jair Bolsonaro sentir falta, muita falta do ministro Dias Toffoli.

Há dois anos, ao ser empossado no cargo que cedeu a Fux, Dias Toffoli prometera tirar o tribunal da boca do palco da política, reduzindo seu protagonismo. Fez o contrário. E surpreendeu seus pares e o próprio governo aliando-se a Bolsonaro.

MundoMundoChina autoriza testes da primeira vacina em spray nasal contra a Covid-19BrasilBrasilSecretário de Educação do Rio é preso; Cristiane Brasil é procuradaPolíticaPolíticaO futuro político de Lula está nas mãos de BolsonaroEconomiaEconomiaBolsonaro está chateado com o presidente do FlamengoPolíticaPolítica1Home pageBrasilBrasil2A resposta da Universal após Angola confiscar templosPolíticaPolítica3Ministro do Meio Ambiente atira no pé e acerta no próprio peitoBrasilBrasil4Movido por princesa Isabel, processo mais antigo da República chega ao fim

Fux comprometeu-se também com uma “intervenção minimalista” em assuntos sensíveis. “Menos é mais”, enfatizou. Repetiu o truísmo da necessária independência entre Poderes, mas acrescentou: “Com altivez” e não com contemplação e subserviência.

Ouviu de Fux, no trecho mais aguardado do seu discurso, uma defesa enfática do combate à corrupção. O ministro citou a Lava-Jato mais de uma vez, exaltando seus resultados. Fez por merecer o que o ex-juiz Sérgio Moro vaticinou em 2016:

– Excelente. “In Fux we trust” (‘em Fux nós confiamos’)

Que saudade Bolsonaro sentirá de Dias Toffoli – RICARDO NOBLAT, VEJA.COM
Rolar para o topo