Regina Duarte e Bolsonaro já enfrentam primeira crise – ESTADÃO

Coluna do Estadão

07 de março de 2020 | 07h00

Jair Bolsonaro e Regina Duarte na posse da atriz como secretária da Cultura Foto: Adriano Machado/Reuters

Regina Duarte mal foi nomeada secretária de Cultura e já esteve a ponto de pedir demissão. Nos últimos dias, a atriz vem sofrendo enorme pressão nas redes sociais, em especial dos “olavistas” (discípulos de Olavo de Carvalho), por causa das exonerações que fez. A duras penas, ela deve aprender o que há muito tempo se sabe em Brasília: Jair Bolsonaro escuta mesmo a voz das redes sociais. O maior foco da crise gira em torno da indicação do seu número dois: Regina quer ter no cargo de confiança o produtor Humberto Braga; Bolsonaro, não.

Xi… Braga é tido como muito caro para a atriz, mas teriam chegado ao WhatsApp de Bolsonaro fotos dele abraçado a Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e a Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Round 1. Uma queda de braço Regina já perdeu. Ela queria exonerar o polêmico presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, mas Bolsonaro vetou.

Quem manda. Foi determinado que todos os nomes da Cultura passem pelo presidente. Segundo integrantes do governo, ela foi ingênua ao acreditar que a “porteira fechada” era pra valer.

Ops. Aliás, a relação da atriz com Marcelo Álvaro Antônio tampouco anda muito bem. A secretaria dela fica sob o Turismo.

MEU COMENTÁRIO:

Custa crer, mas será preciso enorme dose de ingenuidade para alguém aceitar ter recebido uma “carta branca” de Bolsonaro, sobretudo quando ele retem o chamado “poder de veto”.

Dependendo do guru pseudo filósofo e dos filhos, especialmente Carlos, a deslumbrada Regina já sentiu que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

Será que ela permanece no cargo até o final do mês? Veremos…

Regina Duarte e Bolsonaro já enfrentam primeira crise – ESTADÃO
Rolar para o topo