Salve-se quem puder – VOLTAIRE DE SOUZA, FOLHA

Salve-se quem puder
Quando um pastor evangélico se sente perseguido, até a Ucrânia entra no pacote

Roubo. Propina. Corrupção.

O pastor Saladino estava preocupado.

–Não tenho nada a ver com o MEC.

Ele passava um hidratante no rosto.

–Mas desse jeito vão desconfiar da gente também.

As planilhas não mentiam.

–A arrecadação do dízimo já caiu na semana passada.

Era preciso reagir.

–Atacar o presidente Bolsonaro eu não vou.

Tratava-se de uma questão de fé. De convicção.

–Agora, essa igreja aí do pastor Gilmar…

Saladino não perdoava a organização rival.

–Acabam com o bom nome das igrejas evangélicas.

O nó da gravata de seda foi ajustado com apuro.

–O jeito é fazer uma arrecadação de emergência.

Boas causas não faltam.

Os dedos ágeis de Saladino batucavam o teclado do laptop.

–Um novo templo na Zona Norte?

O veneno da dúvida corroeu a mente do líder evangélico.

–Acho que não pega mais… já prometi mais de cinco por lá.

Era preciso propor uma causa popular e lucrativa.

–Com apelo junto aos setores da elite.

Um parlamentar amigo deu a ideia.

–E a guerra na Ucrânia?

–Hum… a região é meio bíblica, não é?

–Claro. E eu posso ajudar na publicidade.

–De que jeito, deputado?

–Conheço várias ucranianas. Loirinhas. Com sotaque e tudo.

Faltava discutir o destino da arrecadação.

–Metade vai para a minha igreja.

–E a outra metade vai para minha campanha.

O parlamentar explica.

–Nesse conflito da Ucrânia, eu fui a maior vítima.

O pastor Saladino concordou.

–Não basta perseguirem a fé cristã…

–Ainda perseguem quem gosta das loirinhas.

–Heterofobia, meu caro.

–E evangelicofobia para o seu lado, né, pastor?

Saladino respirou fundo.

–Os perseguidos, unidos…

–Jamais serão vencidos.

A vida financeira, por vezes, é como uma guerra.

Cada um se protege com as armas que tem.

Salve-se quem puder – VOLTAIRE DE SOUZA, FOLHA
Rolar para o topo