Secretários cobram que Mandetta defenda isolamento, e reunião tem bate-boca – FOLHA

Clima esquentou após ministro dizer que leitos não foram entregues porque não tinha os endereços

Temperatura máxima Foi tensa a primeira reunião do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com secretários estaduais após o pronunciamento de Jair Bolsonaro. Por meio de teleconferência nesta quinta-feira (26), eles cobraram posição firme em defesa do isolamento, agora sob ataque do presidente, mas prescrito anteriormente pelo ministro.

Os secretários pediram agilidade no envio dos leitos de UTI e respiradores. A afirmação de Mandetta de que equipamentos não foram enviados por falta dos endereços dos hospitais destinatários gerou bate-boca.

Culpa sua Secretários do Norte, Nordeste e Centro-Oeste dizem que o ministro pediu os endereços desses hospitais apenas na quarta-feira (25), mas que os locais estavam escolhidos há semanas. Para eles, Mandetta tentou transferir a culpa dos problemas que tem enfrentado.

Fala muito “Criou mal-estar, estresse. Não sei se ele se expressou adequadamente. Os endereços não foram o motivo para não receber os equipamentos”, diz Alberto Beltrame, secretário de Saúde do Pará e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde. No início da semana, o tema implodiu o grupo de WhatsApp, como mostrou o Painel.

Uma coisa ou outra Sobre a fala em que Bolsonaro relativizou a importância do isolamento, os secretários pediram que Mandetta volte a ser firme no que defendia. Eles dizem que embasaram suas posições no que o ministro vinha dizendo. “Pedimos unidade da informação e que se paute pelas experiências internacionais”, diz Beltrame.

Secretários cobram que Mandetta defenda isolamento, e reunião tem bate-boca – FOLHA
Rolar para o topo