Selic a 4,25%: saiba quais aplicações de renda fixa ainda ganham da inflação – O GLOBO, RJ

Letras de Crédito e CDBs são opções. Poupança e Tesouro Selic ficarão menos atraentesGabriel Martins

Notas de real: cenário de piso histórico dos juros, letras de crédito e CDBs dão retornos mais vantajosos Foto: Arquivo
Notas de real: cenário de piso histórico dos juros, letras de crédito e CDBs dão retornos mais vantajosos Foto: Arquivo

RIO — A redução da taxa básica de juros (Selic) para 4,25% vai dificultar ainda mais a vida de quem tem na renda fixa o único destino para seus investimentos. Diante deste cenário de piso histórico dos juros, caderneta de poupançaTesouro Selic e fundos DI com taxa de administração acima de 1% terão o chamado ganho real negativo, ou seja, quando o rendimento não consegue superar a inflação. Letras de Crédito e CDBs dão retornos mais vantajosos.

Por exemplo, caso o investidor aplique R$ 1 mil na caderneta de poupança a partir desta quinta e deixe a quantia parada no investimento durante um ano, terá ao final do período R$ 1.029,75. Corrigido pela inflação projetada para este ano (3,4%, de acordo com o mais recente Boletim Focus), a quantia seria equivalente a R$ 995,89.

A diferença negativa de R$ 4,11 não aparece no extrato da caderneta, mas representa o valor que foi “comido” pela inflação.

No caso de um investimento no Tesouro Selic, também de R$ 1 mil, o rendimento seria de R$ 33 (já descontando o Imposto de Renda de 17,5% para o período). Aplicando a inflação, a quantia representaria, na verdade, R$ 999,03. Neste caso, a inflação tiraria R$ 0,97 do poder de compra.

. Foto: Editoria de Arte
. Foto: Editoria de Arte

Os fundos DI (que aplicam em títulos públicos remunerados pela variação do juro básico) também perdem para a inflação com a Selic a 4,25% se da taxa de administração for superior a 1%.

No caso de R$ 1 mil depositados em um fundo com taxa de 1%, o rendimento ao final do período será de R$ 1.034,24. Descontando a inflação, a quantia passa representar R$ 992,25.

– Mesmo com rendimento mais baixo do que em anos anteriores, o investidor precisa manter aplicações neste investimento para constituir a reserva para emergências. Agora, com um novo corte na Selic, é preciso que o investidor procure as melhores opções até mesmo dentro da renda fixa — avalia Sandra Blanco, consultora de investimentos da Órama.

Diante de algumas opções oferecendo retorno real negativo, a renda fixa ainda tem oportunidades de ganhos, embora reduzidas. Este é o caso das Letras de Crédito Imobiliário ou do Agronegócio (LCI/LCA).

O ganho de aplicação de R$ 1 mil durante um ano em uma LCI que remunere 92,5% do CDI será de R$ 1,038,39. Descontando a inflação, o poder de compra é de R$ 1.004,24.

Produtos como um CDB que remunera 119% do CDI, por exemplo, também é uma alternativa para potencializar os retornos em meio a uma Selic de 4,25%. Aplicando R$ 1 mil durante um ano, o retorno é de R$ 1.040,74. Descontando a inflação, fica em R$ 1.006,52.

Assim, a recomendação para minimizar os baixos ganhos da renda fixá é diversificar os produtos de investimento:

— Fundos imobiliários e fundos multimercados são opções interessantes para quem deseja ter mais ganho com os investimentos nesse cenário de Selic com novo piso histórico — diz Sandra, da Órama.

Selic a 4,25%: saiba quais aplicações de renda fixa ainda ganham da inflação – O GLOBO, RJ
Rolar para o topo