UM GENERAL E UM MINISTRO – RICARDO NOBLAT – VEJA.COM



A “NOVA” POLÍTICA –  General Ramos: cargo só para quem vota com o governo Anderson Riedel/PR

A bola da vez para ser chutada pelo presidente Jair Bolsonaro e seu filho Carlos, o Zero Dois, é o general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo. Uma injustiça que poderá ser consumada se os dois precisarem jogar mais um às feras.

O general e o ministro Paulo Guedes, da Economia, foram os responsáveis pelo acordo firmado com o Congresso em torno do Orçamento Impositivo da União. Só que Bolsonaro sempre esteve a par de tudo. Nada foi feito à sua revelia.

Outro ministro é candidato ao sacrifício caso se dê mal e apesar de estar se dando muito bem no momento em que o país atravessa – Luiz Henrique Mandetta, da Saúde. Bolsonaro e Carlos não estão gostando do protagonismo de Mandetta. Ciúmes, medo.

Provocado, o ministro respondeu à CNN Brasil que não foi ilegal o ato que convocou a manifestação bolsonarista de ontem, mas disse também que ninguém deveria ter comparecido, nem mesmo o presidente da República. Doeu em Bolsonaro, e no filho dileto.



UM GENERAL E UM MINISTRO – RICARDO NOBLAT – VEJA.COM
Rolar para o topo