Weintraub pode ficar no MEC, mas sua obra, não – RICARDO NOBLAT, EM VEJA.COM

Proliferam os candidatos à vaga do ministro

Por Ricardo Noblat – 

 Adriano Machado/Reuters

Abraham Weintraub resiste na Educação, mas suas propostas estão sendo demolidas no Congresso, segundo o TAG REPORT, relatório semanal das jornalistas Helena Chagas e Lydia Medeiros.

A medida provisória da carteira estudantil caducou ontem, e a que muda critérios para a escolha de reitores deve ter o mesmo destino.

A renovação do Fundeb deverá ignorar as sugestões do governo. “Tudo o que o MEC mandar será refeito”, diz o deputado Gastão Vieira (PROS-MA).

O Future-se, um dos principais programas da pasta, em fase de consultas públicas, pode ter acolhida semelhante.

A vaga do ministro é cobiçada. O ministro Paulo Guedes, da Economia, gostaria de emplacar o professor Antonio Freitas, da Fundação Getúlio Vargas.

O candidato de parte da bancada evangélica, ligada à Assembleia de Deus, é o ex-presidente do INEP Marcus Vinicius Rodrigues.

O bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, tem um nome a sugerir ao presidente Jair Bolsonaro.

Weintraub pode ficar no MEC, mas sua obra, não – RICARDO NOBLAT, EM VEJA.COM
Rolar para o topo